O Futsal pode ser considerado como uma variante do futebol de campo, sendo praticado em todo o mundo, com a particularidade de que é jogado em ambiente fechado. É uma modalidade esportiva que há crescido muito nos últimos anos, principalmente, depois de que a FIFA (Fédération Internationale de Football Association) padronizou os regulamentos e as competições internacionais, mais especificamente, a partir de 1989 com o primeiro Campeonato Mundial disputado na Holanda (Vicente-Vila & Lago-Peñas, 2016).

Para entender o que é importante na Preparação dos Goleiros no Futsal, faz-se necessário entender as características físicas e técnicas desse esporte.

A habilidade técnica dos jogadores de Futsal é influenciada por diferentes fatores, onde se destacam o tamanho da bola, bem como o tamanho reduzido da quadra, fazendo com que os jogadores estejam sob constante pressão rival, ocorrendo assim, alternância de posse da bola. Isso faz com que o jogo seja de alta intensidade, exigindo dos jogadores uma alta capacidade para as tomadas de decisões, de forma a que necessitem mover-se com mais precisão e de forma mais rápida para manter ou pegar a bola, tornando assim, a capacidade de fazer mudanças de direção (agilidade) fundamental nesse esporte (Naser et al. 2017).

Com esse entendimento e direcionando-o para o Goleiro, Léo (2010) afirma que o goleiro de futsal deve ter características físicas, motoras, psicológicas e técnicas diferentes dos demais companheiros, merecendo uma atenção especial.

Para Paz-Franco et al (2013) “o Goleiro é uma posição específica que exige características especiais e, portanto, deve dominar todas as facetas do jogo, próprias e as pertencentes a outras posições específicas, dependendo das funções que deve cumprir.”

As afirmações dos autores podem ser interpretadas como o goleiro sendo uma figura singular dentro da quadra que, aparentemente, não necessita ter a mesma capacidade de deslocamento dos demais companheiros, devido ao fato de jogar mais posicionado defendendo a goleira, além de ser o único jogador a poder utilizar as mãos durante o jogo. Porém, dependendo da forma como for utilizado em quadra, deverá ter o preparo necessário para cumprir, minimamente, a função que lhe for atribuída naquele momento.

Esse entendimento vai ao encontro do que afirmam Côrrea et al (2014) onde perceberam que era uma estratégia eficiente para o ataque da equipe que o goleiro atuasse como jogador de linha, pois aumentava os chutes ao gol contrário e reduzia a área defensiva da equipe contrária.

Com isso, Léo (2010) e Sousa (2011), apresentam como as Capacidades Físicas mais importantes a serem trabalhadas pelo Goleiro de Futsal a flexibilidade, a resistência, a força e a velocidade. Porém, Fonseca (2001) destaca o tempo de reação como sendo a capacidade física mais importante para o Goleiro de Futsal.

Léo (2010) e Sousa (2011) ainda apresentam uma lista dos principais fundamentos técnicos do Goleiro de Futsal, onde destacam-se: Pegadas, Posicionamento, Queda, Lançamento, Saída de Gol, Defesa com o Pé e o próprio Goleiro Linha.

Assim sendo, a posição do Goleiro no Futsal parece ser de grande particularidade, pois além de requerer treinamento para capacidades específicas de um Goleiro (Agilidade, Força, Tempo de Reação, etc.), ainda demonstra a necessidade de trabalhar outras capacidades/habilidades (Domínio, Passe, Chute à Gol, etc.) que poderão ser requeridas em algum momento da partida, de acordo com a necessidade da equipe e a estratégia utilizada pelo treinador.

E aí você concorda com essa ideia? Se interessou pelo assunto? Conheça mais na nossa página do futebolinterativo.com, e não esqueça de fazer o seu registro para participar do nosso Evento de Inteligência de Mercado! Deixe o seu comentário e visite a nossa página https://mercado.futebolinterativo.com/inteligencia/, lá você poderá fazer o seu registro no Evento que é gratuito!

REFERÊNCIAS

CORRÊA, U. C.; DAVIDS, K.; SILVA, S.L.; DENARDI, R.A.; TANI, G. The Influence of a Goalkeeper as an Outfield Player on Defensive Subsystems in Futsal. Advances in Physical Education. Volume 4, páginas 84-92, 2014. 

FONSECA, G.M.M. Futsal – treinamento para goleiros 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Sprint, 2001.

LÉO, L. A. C. Estudo Descritivo do Nível Técnico e Tático do Goleiro de Futsal na Copa do Mundo de 2008. Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG. Belo Horizonte, 2010.

NASER, N.; ALI, A.; MACADAM, P. Physical and physiological demands of futsal. Journal of Exercise Science & Fitness. Volume 15, páginas 76-80, 2017.

PAZ-FRANCO, A.; BORES-CEREZAL, A.; BARCALA-FURELOS, R.; MECIAS-CALVO, M. Analysis of the Conducts of Elite Futsal Goalkeeper in the Different Situations of the Game. American Journal of Sports Science and Medicine. Volume 2 (3), páginas 71-76, 2013.

SOUSA, R. A. A. Análise das Ações Defensivas do Goleiro de Futsal. Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG. Belo Horizonte, 2011.

VICENTE-VILA, P.; LAGO-PEÑAS, C. The goalkeeper influence on ball possession effectiveness in futsal. Journal Human Kinetics. Volume 51, páginas 217-224, 2016.