Em um pensamento veloz ou uma busca rápida, costumou-se definir o Preparador Físico como o responsável por quantificar todas as sessões de treinamento da equipe com um controle exaustivo quanto ao volume, intensidade, número de séries, repetições e pausas, etc., ou seja, tudo o que corresponda a controlar os diferentes fatores que possam influenciar no ganho ou conservação da condição física do jogador (Hernández, 2004).

Essa definição não está errada, longe disso, porém na atualidade continuará sendo o Papel Principal de um Preparador Físico o de “apenas” controlar os fatores que possam influenciar na condição física do jogador?

Ao longo de uma partida de futebol é no mínimo complicado, para não dizer impossível, destacar, separar, isolar uma ação única e, exclusivamente, de influência física no desempenho de um jogador, entendendo que a cada ação existirá uma influência física, técnica, tática e psíquica que estarão interagindo entre si (Silva, 2002).

Partindo do princípio que é quase impossível dissociar o físico, do técnico, do tático e do psíquico durante uma partida de futebol, entendemos que a visão sobre esse esporte evoluiu e de acordo com Pol (2015), na atualidade há uma nova perspectiva de treinamento onde se entende o jogo como um todo irredutível, então o papel do Preparador Físico deverá modificar-se de acordo com a necessidade, uma vez que agora é necessário trabalhar de uma forma muito mais coordenada com o treinador.

Entende-se com isso, que o Preparador Físico Moderno, para além das suas Atribuições consideradas “clássicas” como: Planificar e periodizar os treinamentos físicos, aplicar avaliações físicas, aplicar os treinamentos e controlar as cargas de trabalho, o Preparador Físico Moderno necessita entender mais dos aspectos técnicos-táticos do jogo e entender o Modelo de Jogo da equipe, para que assim, cada trabalho proposto durante o treinamento possa ter uma maior especificidade.

Outro ponto a destacar que é muito evidenciado na atualidade, como Atribuição importante do Preparador Físico é o de prevenir/recuperar lesões no futebol, pois com o atual calendário que apresenta uma quantidade de jogos impensável, além de pouco tempo de recuperação, o Preparador Físico Moderno será importantíssimo no processo de facilitação e/ou aceleração do processo de recuperação dos jogadores, para que todos estejam disponíveis para treinar e jogar (Pol, 2015).

Assim sendo, entende-se que são inúmeras as Atribuições de um Preparador Físico de Futebol Moderno, podendo englobá-las em 6 grandes áreas:

 

Conhecer/Entender – Temas inerentes à Preparação Física como a fisiologia, bioquímica, biomecânica e a periodização do treinamento, além de conceitos técnicos-táticos e o próprio Modelo de Jogo da equipe que permita um trabalho cada vez mais colaborativo e específico;

Planificar – Tanto sessões de treinamento (unidade de treino) quanto planificações semanais (microciclos), mensais (mesociclos) ou semestrais/anuais (macrociclos);

Avaliar – Para entender o nível em que se encontra a equipe de forma coletiva e individual;

Aplicar – O que foi planejado, podendo ser em diferentes momentos do treinamento (dentro do campo ou não), de acordo com os objetivos pré-estabelecidos;

Controlar – As cargas do treino, podendo ser de uma forma mais aprofundada ou não de acordo com os recursos disponíveis;

Prevenir/recuperar – Prescrevendo treinamentos, de preferência, individualizados para evitar lesões e/ou otimizar o rendimento dos atletas, inclusive para aqueles jogadores que estejam em uma etapa de transição.

Com isso, o Preparador Físico de Futebol, precisa ser um profissional bem preparado e atualizado, com um conhecimento mais aprofundado em todo o processo que envolve o treinamento físico, além de áreas complementares e, importantíssimas, como a psicologia desportiva e o relacionamento interpessoal.

E aí você concorda com essa visão? Gostou do assunto? Deixe o seu comentário e venha saber mais sobre o nosso curso de Preparação Física de Futebol!

REFERÊNCIAS

HERNÁNDEZ, Victor P.; Papel del preparador físico durante la recuperación de lesionados en el fútbol profesional. Revista digital efdeportes.com. Buenos Aires, Ano 10, N° 77, outubro de 2004.

POL, Rafel. La Preparación ¿Física? en el fútbol: El proceso de entrenamiento desde las ciencias de la complejidad. 3 ed. Espanha, 2015.

SILVA, Eduardo L. Atuação técnica do preparador físico com o treinador na orientação dos treinamentos das equipes do futebol profissional brasileiro. Dissertação de Mestrado da UFRGS. Porto Alegre, 2002.